Traduza para o seu idioma

sábado, 15 de julho de 2017

Insónia à vista

São 6h da manhã e não consigo dormir. A solidão propaga-se toda a noite através do silêncio. Algo que para mim já foi aprazível, torna-se agora no meu maior inimigo.

Não sei em que momento da vida te perdi. Não sei quando é que percebi que já não estavas ali para mim. Só sei que isso já aconteceu há muito tempo. Esta quebra apenas salienta o que já não existia entre nós. A conexão que sentimos ainda, deve-se apenas às vivências comuns. No geral, não resta mais nada onde nos possamos agarrar para que o barco não vá ao fundo. Já afundou há muito, só eu é que ainda não tinha percebido.

E a noite voa a uma velocidade atordoante. Quis dormir, mas os pensamentos de profunda desilusão persistem. Será que nos vamos voltar a ver?

Sem comentários:

Arquivo do blogue