Traduza para o seu idioma

sábado, 10 de dezembro de 2016

Interrogações

Não consigo escrever nada de jeito
desde que foste embora.
Por que foste assim, tão repentinamente?
Que forma tão indecente!
Não me conformo com essa decisão.
Mas ainda te amo, mesmo assim.
O que fizeste com o meu coração?
Por que queres ficar longe de mim?
Acaso fui eu que te piquei
com um pionés, ou algo parecido?
Fiquei para aqui a "apanhar bonés".
Não fiques agradecido.
Quando eu perceber todos os porquês
serei eu a afastar-me de ti, talvez.
Porque deixas-te meu coração sofrer
pela tristeza de te não ver.
Fico para aqui sozinha e triste
neste mundo pequeno que existe.
Enquanto tu te animas num lugar
onde tem mais terra que mar.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Poema reflexivo

Não me conformo com as distâncias.
Mas acredito que as mudanças
podem ter um impacto positivo.

Mas tenho de confessar que dói,
quebrar aquilo que um dia foi
importante demais para mim.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Ganhei coragem e cortei o meu cabelo!



Queridos leitores e amigos da Rainha, finalmente ganhei coragem para fazer um corte de cabelo radical e eis aqui o resultado.

Não foi nada fácil para mim, visto que sempre fui muito apegada ao cabelo comprido, mas decidi que estava no momento de fazer esta mudança.

Nas fotos abaixo podem ver o antes e o depois. Tenho de agradecer à minha cabeleireira do costume que teve imensa paciência e que fez exactamente aquilo que eu queria. Obrigada Fátima! :)






Eu gostei. E vocês, gostaram?

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Mudanças

Mudanças. Quem nunca ficou com vontade de mudar alguma coisa? Ou quem nunca ficou com a sensação de que algo está a mudar? Tenho a certeza que também já aconteceu contigo.

As mudanças nem sempre são más. Em certos momentos até podem ser boas, no sentido em que te tiram da mesma rotina de sempre e te dão um mar de possibilidades. Mas, também existem aquelas mudanças exteriores, que não estás à espera e que te esmagam por segundos e até por vários meses.

Posso dizer-te que estou a passar por esses dois tipos de mudanças. Por um lado quero mudar e preciso de mudar. E estou a fazer algumas coisas que têm de ser feitas para que seja mais fácil mudar. Por outro lado, têm acontecido ultimamente coisas que não consigo controlar, mas que estão intimamente relacionadas comigo e com pessoas próximas. Estas últimas, estão a deixar-me com o cabelo em pé e com insónias mais longas.

Eu sei que estamos a fechar um ano para começar outro. Eu sei que 2017 até pode ser melhor ( TEM DE SER MELHOR), mas aquela sensação estranha que algo de mau está prestes a acontecer, também não sai da minha cabeça.

Este ano, passo o Natal sozinha. Não que eu queira que seja assim, mas porque as circunstâncias me obrigam. Há dois anos atrás também foi assim. Sim, eu sei que sobrevivi. Mas custa. Lá isso, custa!

A passagem de Ano, espero que corra melhor. Acho que mereço levar para 2017 boas energias e as pessoas que eu amo. Certo? Certo!

As mudanças que farei entretanto têm a ver com o desapego de certas coisas que não me fazem bem. Quero livrar-me de alguns itens do passado que já não fazem qualquer sentido. E quiçá, mudar de casa em 2017. Já deitei centenas de coisas para o lixo. Depois de o fazer, ainda sobrou alguma culpa. Mas, para ser sincera, não me faziam falta nenhuma. Até porque eu já me esqueci das coisas que descartei.

Vamos lá começar a despedida de um ano menos favorável e dar as boas-vindas a um novo ano cheio de conquistas!

Arquivo do blogue