sábado, 16 de janeiro de 2016

A Fúria do Vento

A fúria do vento
Não me deixou dormir.
Por pensar no mau momento
Que os Açores estavam a sentir.

O Alex apresentou-se
Em forma de furacão.
Amedrontou toda a gente.
Inclusive o meu irmão.

Meu coração ficou alerta
Minha mente, solidária.
Felizmente passou rente,
Entre as ilhas, sem represálias.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Escrever

Queria escrever algo bonito 
Nesta linda noite de Inverno.
Olhar o denso céu no infinito 
E colorir de palavras, o caderno.

Jovita Capitão, Rainha das Insónias.

Um sonho, talvez.


Queridos leitores e amigos da Rainha, hoje acreditei num mundo diferente. Sonhei que a maldade no mundo tinha acabado. Que as dificuldades da vida estavam superadas e que ainda havia esperança no ser humano. Sim! Sonhei que as flores dançavam comigo. Que a minha casa, era o meu porto de abrigo e que ainda havia tempo de remediar as coisas que na vida real não posso mudar.